Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

O vinho é uma bebida obtida pela fermentação alcoólica de uvas frescas. Entre elas, por exemplo, estão as brancas e tintas, que se subdividem em diversas variedades.

Em relação às uvas brancas, podemos citar a Chardonnay e Sauvignon Blanc. A Chardonnay é conhecida como a “soberana das uvas brancas” e é a responsável por vinhos ricos e bem estruturados.

Originária da França, na região de Borgonha, esta uva versátil adaptou-se muito bem às regiões onde foi cultivada ao redor do mundo, e no Brasil não foi diferente.

Essa uva pequena torna-se transparente e suculenta ao amadurecer, o vinho branco resultante desse suco é o que melhor se beneficia da fermentação em barrica e do envelhecimento em carvalho, sendo também largamente utilizado para elaboração do vinho espumante. Dessa cepa resulta um vinho pleno, amanteigado, frutado e seco, ao mesmo tempo delicado e sutil.

Quando a vinificação da uva Chardonnay passa por barricas de carvalho, temos um aroma de baunilha, macio e sem acidez agressiva. Quanto à coloração caraterística do vinho podemos defini-la como amarelo palha esverdeada, tornando-se amarelo ouro, na medida em que envelhece.

Falamos agora sobre a Sauvignon Blanc. Esta cepa refrescante picante, com sabor de cassis e groselha, também conhecida como “Vinho de Verão” ou “Vinho de Piscina”, é originária do Vale do Loire, na França.

Ajustou-se de tal forma em nosso país que tem sido produzida com qualidade e em grande quantidade. Vivos e refrescantes, bastante secos, os vinhos feitos com esta variedade têm personalidade forte.

No que diz respeito às uvas que produzem vinho tinto, também se destacam duas variedades, a Pinot Noir e a Merlot. A primeira, sensível e que deve receber trato especial por ser bastante vulnerável a variações de clima e ambiente.

A uva mais especial da Borgonha, também requer cuidado após ser colhida, pois sua casca fina pode romper-se com extrema facilidade. Seus frutos são pequenos, de suco generoso e com pele de coloração azul escura que tinge o mosto de rubi violeta, durante a fermentação.

O cultivo dessa variedade é, atualmente, muito utilizado para a elaboração de espumantes, pois confere corpo a bebida. Ainda produz vinhos tintos generosos, de pouca intensidade de cor, violáceos, com aromas e Bouquet complexos, delicados e agradáveis, extremamente frutados e marcantes. Este vinho é perfeito para ser consumido jovem e, em geral, atinge a maturidade entre oito e dez anos.

A segunda variedade, Merlot, proveniente de Bordeaux, na França, sobretudo de Saint Émilion e Pomerol, é produtora de apreciável vinho tinto que se adaptou perfeitamente às regiões de maior altitude nos Campos de Cima da Serra.

A uva Merlot, em geral, produz vinhos pouco ácidos e tânicos, com um potencial de envelhecimento de moderado a bom, podendo ficar mais leve com o passar do tempo.

O vinho Merlot tem uma belíssima cor rubi, é tenro, complexo, aveludado e encorpado. Também pode ser consumido jovem, porém ao mesmo tempo, se beneficia do tratamento em carvalho, tornando-se cada vez mais aveludado.

Independente da variedade da uva utilizada na fabricação da bebida vale destacar que o consumo inteligente, ou seja, moderado, de vinho, produz efeitos de menor incidência de doenças coronárias.

Vinícola Fazenda Santa Rita

A Vinícola Fazenda Santa Rita está localizada nos Campos de Cima da Serra/RS e é uma centenária e tradicional empresa do agronegócio

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.