Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0

Algumas bebidas são, decerto, bastante associadas às estações do ano, e têm seus próprios ritos de consumo.

Enquanto a cerveja é mais consumida nos dias quentes, rapidamente e em grandes quantidades, o whisky é mais associado ao frio, em pequenas doses apreciadas por um longo tempo.

O vinho, por sua vez, é bastante versátil nesse sentido. Ao mesmo tempo que os tintos potentes são excelentes parceiros em noites frias, tintos leves, brancos e rosés, além dos espumantes, acompanham a estação mais quente do ano, deixando-a ainda mais atraente. O que não quer dizer abrir mão de um tânico tinto, inclusive.

Outro fator que impulsiona o consumo de vinho, nessa época, são as festas e confraternizações de final de ano, que no hemisfério sul acontecem durante o verão. Nenhuma época do ano, comparativamente, tem tantos eventos sociais e familiares acontecendo ao mesmo tempo, como essa. E não há bebida mais associada à celebração, que o vinho!

Um interessante estudo realizado na Itália, em 1995, analisou o consumo de vinho, cerveja, grappa e outros destilados, em geral. Uma das conclusões da pesquisa foi que o consumo de vinho apresentou a menor variação sazonal de consumo, bem como a menor variação de consumo entre os dias da semana. Isso porque, principalmente nos países mediterrâneos, o vinho é considerado como parte integrante da refeição, como um alimento inserido no dia a dia de muitas pessoas, com frequência e quantidades moderadas.

Ou seja, segundo esse estudo, publicado no International Journal of Epidemiology, o consumo de vinho segue um padrão mais regular, quando comparado a outras bebidas alcoólicas. Em outras palavras, pode ser uma bebida para o ano todo!

Entretanto, comerciantes e profissionais do ramo, ao redor do mundo, confirmam uma peculiaridade do consumo de vinho no verão. Os vinhos consumidos, na média, são mais baratos, comparados à média daqueles consumidos no inverno.

O motivo? Talvez porque os vinhos brancos e rosés sejam erroneamente e injustamente considerados vinhos de menor valor. Talvez porque um espumante servido no verão, por exemplo, será consumido em maiores quantidades que um espumante servido no inverno. Daí a preferência por rótulos de preços mais acessíveis. Não sabemos, ao certo.

O que sabemos, felizmente, é que essa é uma estação do ano que também adora o vinho, assim como nós!

Fonte: Blog Tintos E Tantos

Vinícola Fazenda Santa Rita

A Vinícola Fazenda Santa Rita está localizada nos Campos de Cima da Serra/RS e é uma centenária e tradicional empresa do agronegócio

No Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.